INSCRIÇÕES TEMPORARIAMENTE SUSPENSAS para o 4º Encontro de Acessibilidade Comunicacional em Pernambuco

E-flyer para Inscrições no Encontro de Acessibilidade. À esquerda, em preto: “Estão abertas as inscrições gratuitas para participação do 4º Encontro de Acessibilidade Comunicacional em Pernambuco.” Em laranja: “O Encontro será no período: 2 a 5 de maio de 2018 em Recife.” Em azul, “Inscreva-se pelo formulário disponível no site da VouVer Acessibilidade: http://vouveracessibilidade.com.br/” Abaixo, em letras coloridas: “4º Encontro de Acessibilidade Comunicacional em Pernambuco” e as longos: Realização: VouVer Acessibilidade. Incentivo: Funcultura, Fundarpe, Governo do estado de Pernambuco. Apoio: Sesc. Os símbolos de evento acessível (audiodescrição e Libras). À direita, a identidade visual do projeto que começa na margem superior e vai até a inferior. A imagem de uma estrutura abstrata formada por filetes coloridos, agrupados em duplas e trios, vermelhos, amarelos, lilás, cinzas, em tons de azul e de verde. Eles desenham caminhos ora em linhas retas, ora em curvas e diagonais, entrecruzam-se entre si, e, no alto da estrutura, seguem em linha reta, paralelos, em grupamentos duplos: um vermelho-amarelo e outro, e lilás. À direita, no alto, o tema do evento “Pulsações Para a Cena e Em Cena”.

4º ENCONTRO DE ACESSIBILIDADE COMUNICACIONAL EM PERNAMBUCO

 “Pulsações para a cena e em cena” é tema do 4º Encontro de acessibilidade Comunicacional em Pernambuco

Evento acontece de 02 a 05 de maio no Recife e já está com inscrições gratuitas abertas.

Pulsar: movimento de dilatação e contração. Ao dilatar, nos expandimos e convidamos o outro. Ao contrair, nos unimos, nos fluímos, nos interceptamos. Num novo pulsar, nos expandimos e podemos irradiar as nossas trocas, agregar novos “outros”. E que pulse, incansavelmente, pulsemos em latejos, em palpitações, e/ou, em pancadas.

A 4º edição do Encontro de Acessibilidade Comunicacional em Pernambuco traz o tema “Pulsações para a cena e em cena”. A cena como vida, que atravessa o cotidiano, a educação, a cultura, a tecnologia, as diversas linguagens artísticas, a forma de ser e estar no mundo, e, a acessibilidade como pulsações inclusivas que lampejam mudanças para e com as diversidades humanas. (Andreza Nóbrega)

Entre os convidados para fomentar os debates e palestras e ministrar as oficinas, estão professores, atores e atrizes, gestores culturais e especialistas na área de inclusão e acessibilidade comunicacional. A terapeuta ocupacional (UFPE) e Especialista em Dança Educacional e Inclusão (CENSUPEG) Renata Tarub (PE) faz palestra sobre dança inclusiva e apresenta a Dança do Ventre Inclusiva. Letícia Schwartz, do Rio Grande do Sul, é audiodescritora-roteirista e narradora e irá ministrar a oficina “Cortinas Abertas para as pessoas com deficiência visual”, além de palestra sobre a percepção da performance pelo espectador com deficiência visual.

O professor Cristiano Monteiro (UFPE) irá compartilhar suas reflexões no debate “O artista em questão: pelo direito de “ser artista com deficiência: Artes: cultura e identidade surda”, e Rapha SantaCruz (PE), Agrinez Melo (PE) conversam sobre processos de acessibilidade em espetáculos cênicos, com mediação de Rita Marize(PE). Integrando a grade de apresentações artísticas, haverá ainda o LAB de artista Experiri, no qual os alunos/atores e alunas /atrizes do projeto Experiri Lab de Artista (PE) mostrarão o resultado da construção coletiva iniciado no curso coordenado por Andreza Nóbrega (PE) e dos alunos do Letras/Libras coordenados por Cristiano Monteiro. Além do espetáculo para crianças “TANDAN”, da Cia etc (PE), que lança um convite direcionado a elas para uma travessia com uma dança que dá a ver o invisível. Este espetáculo tem um formato em que cada criança participa de uma experiência de imersão com cerca de 6 minutos. E cada sessão comporta no máximo 12 crianças. (Programação completa a seguir)

Além de todas as atividades já mencionadas, o público poderá desfrutar também de Comunicações de pesquisas e experiência no campo da acessibilidade. Ao todo 27 trabalhos, com origem em diversos estados brasileiros, foram selecionados por meio de inscrições prévias e estão distribuídos na programação do evento.

As ações do projeto são gratuitas e acontecerão no Sesc de Santo Amaro de 02 a 05 de maio. O projeto tem incentivo do Funcultura, Governo do Estado de Pernambuco e apoio do Sesc.

INSCRIÇÃO PARA O EVENTO

Atenção: Inscrições temporariamente suspensas!
Devido ao alto número de inscritos, visando o conforto e a não lotação dos espaços na realização do 4 Encontro de Acessibilidade Comunicacional em Pernambuco, suspenderemos as inscrições por tempo indeterminado.
Entraremos em processo de confirmação das inscrições já realizadas e avaliaremos a possibilidade de oferta de novas vagas.
Acompanhe as informações na Facebook do Encontro

INSCRIÇÃO PARA AS OFICINAS

Para se inscrever nas oficinas gratuitas, leia atentamente a proposta de cada uma delas e verifique a sua disponibilidade para participar nos dias e horários estabelecidos. As vagas são limitadas e serão preenchidas por ordem de inscrição, mediante o preenchimento do formulário correspondente. 

03/05 (quinta-feira) Cortinas Abertas para as pessoas com deficiência visual (por Letícia Schwartz/RS)

Horário: 9h-13h e 14h-18h

O teatro é a arte da expressão. Ajuda a dominar a timidez, desenvolve a concentração e a criatividade, melhora a autoconfiança, fortalece a empatia, ativa o pensamento rápido e a capacidade de improvisação. A oficina traz um pouco da experiência realizada pelo grupo Cortinas Abertas, de Porto Alegre, durante o segundo semestre de 2014. Serão abordados exercícios de expressão corporal e vocal, dinâmicas de grupo e improvisações teatrais.

Público-alvo: Jovens e adultos com deficiência visual.
(Recomenda-se que os participantes usem roupas e sapatos confortáveis. Preferencialmente, que estejam de pés descalços).

INSCRIÇÕES ENCERRADAS|VAGAS PREENCHIDAS POR ORDEM DE INSCRIÇÃO

Ministrante|Letícia Schwartz (RS) É coordenadora de produção da Mil Palavras Acessibilidade Cultural. Atua como audiodescritora-roteirista e narradora, além de ministrar cursos e prestar serviços de consultoria. É Bacharel em Interpretação Teatral pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul/UFRGS e Especialista em Audiodescrição pela Universidade Federal de Juiz de Fora/UFJF.  É pós-graduanda em Legendagem para Surdos e Ensurdecidos pela UECE e mestranda do programa de pós-graduação em artes cênicas da UFRGS, em projeto de pesquisa que contempla a audiodescrição em teatro.

Carga horária: 8 horas

Vagas: 20 (Pessoas com deficiência visual, por ordem de inscrição)

04/05 (sexta-feira) Adaptação de Material: recursos alternativos para pessoas com deficiência visual (por Patrícia Pordeu/PE)

Horário: 9h-13h

A oficina é um convite para que os participantes conheçam o universo das pessoas com deficiência visual e identifiquem algumas possibilidades criativas para adaptação de material com materiais simples como papel, barbante, cola em relevo, entre outras possibilidades.

Carga horária: 4 horas

Público alvo: Educadores, Pedagogos, gestores e artistas em geral.

Vagas: 20 (Por ordem de inscrição)

INSCRIÇÕES ENCERRADAS|VAGAS PREENCHIDAS POR ORDEM DE INSCRIÇÃO

Ministrante| Patrícia Pordeus (PE) É especialista em Língua Brasileira de Sinais – Libras-, graduada em Fisioterapia e graduanda em Pedagogia. Professora nos cursos de Pedagogia e Licenciatura em História da Faculdade Joaquim Nabuco. Atua também nas áreas de: áudio-descrição e no ensino e pesquisa da Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS e da Educação Inclusiva.

05/05 (sábado) Divulgação Acessível (por Andreza Nóbrega/PE)

Horário: 9h-13h

Como elaborar um plano de divulgação inclusivo e potencializar a presença de diferentes públicos? A oficina pretende apresentar noções básicas de acessibilidade para divulgação de projetos culturais. Na ocasião, serão exibidas algumas tecnologias assistivas (audiodescrição, Libras, braille, fontes ampliadas, comunicação alternativa, recursos multissensoriais) e estratégias que visam estimular o desenvolvimento de uma ação inclusiva para atrair uma maior diversidade de públicos.

Carga horária: 4 horas

Público alvo: Produtores, artistas e gestores culturais.

Vagas: 20 (Por ordem de inscrição)

INSCRIÇÕES ENCERRADAS|VAGAS PREENCHIDAS POR ORDEM DE INSCRIÇÃO

Ministrante| Andreza Nóbrega (PE) Doutoranda em Teatro pela Universidade Estadual de Santa Catarina (UDESC) com pesquisa que envesga processo de mediação e audiodescrição em teatro. É mestre em Educação Inclusiva pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Especialista em Audiodescrição pela Universidade Federal de Juiz de Fora/UFJF e licenciada em Educação Artística com habilitação em Artes Cênicas (UFPE). Coordenadora da VouVer Acessibilidade, é idealizadora de ações formativas e experimentações artísticas, numa perspectiva inclusiva, nos projetos: Encontro de Acessibilidade Comunicacional em Pernambuco, Cine Às Escuras: Mostra Erótica de Cinema Acessível, Cineclube VouVer Filmes e Experiri: LAB de Artista. Atriz, professora da educação básica e audiodescritora.

Serviço:

4º Encontro de Acessibilidade Comunicacional em Pernambuco

Quando: De 02 a 05 de maio

Onde: Sesc de Santo Amaro

Gratuito

Inscrições gratuitas pelo formulário

Para mais informações: vouverencontro@gmail.com

 

PROGRAMAÇÃO GERAL

LOCAL: Teatro Marco Camarotti – Sesc Santo Amaro

02/05/2018 – (quarta)

9h – Mesa de abertura: Gestores culturais e representantes de Instituições que desenvolvem ações pela inclusão de todos os públicos.

10h – Mesa de conversa: “O artista em questão: pelo direito de “ser artista com deficiência: Artes: cultura e identidade surda”, com Cristiano Monteiro (UFPE). Mediação: Andreza Nóbrega (PE)

14h – Palestra “Para além do Theatron: a percepção da performance pelo espectador com deficiência visual” com Letícia Schwartz (RS). Mediação: Renata Tarub (PE).

16h – Mesa de conversa: “Mostra Inclusiva Dançabilita – da semente aos frutos” com Renata Tarub (PE)

17h  – Demonstração de trabalho formação da turma de Dança do Ventre Inclusiva com Cia Renata Tarub (PE)

 

03/05/2018 – (quinta)

9h-13h e 14h-18h – Oficina “Cortinas Abertas para as pessoas com deficiência visual”, com Letícia Schwartz (RS)

9h-12h e 13h-17h – Apresentação das Comunicações- Apresentação de pesquisas desenvolvidas na área de acessibilidade. Mediadores das comunicações: Andreza Nóbrega/ Emanuella de Jesus/ Ernani Ribeiro/ Lais Castro/Milton Carvalho/Patrícia Pordeus.

17h – Lab de Artista I com alunos do Letras/Libras da UFPE. Coordenação de Cristiano Monteiro (PE), com Alunos do Letras/Libras da UFPE. Coordenação do Prof. esp. Cristiano Monteiro – Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre LIBRAS (NEPEL).

 

04/05/2018 – (sexta)

9h às 13h – Oficina “Adaptação de material: recursos alternativos para Pessoas com deficiência visual” com Patrícia Pordeus (PE)

9h-12h e 13h-17h – Apresentação das Comunicações- Apresentação de pesquisas desenvolvidas na área de acessibilidade. Mediadores das comunicações: Andreza Nóbrega/ Emanuella de Jesus/ Ernani Ribeiro/ Lais Castro/Milton Carvalho/Patrícia Pordeus.

17h às 19h – Lab de Artista – Experiri com Alunos/Atores e Alunas Atrizes do projeto Experiri Lab de Artista (PE)

Apresentação da comunicação sobre o projeto – “ExpeririLab de Artista: Pesquisa de Intervenção no Teatro com pessoas com deficiência visual” com Andreza Nóbrega (PE)

 

05/05/2018 – (sábado)

9h às 13h – Oficina “Divulgação Acessível” com Andreza Nóbrega (PE)

14h – Apresentação artística de espetáculo de Dança com AD e Libras seguida de bate papo com artistas e equipe de acessibilidade. Espetáculo TANDAM da Cia. Etc. (PE)

15h- 17h – Mesa redonda “No trombone: processos de acessibilidade em espetáculos cênicos” com Relato de experiências e iniciativas de artistas e/ou produtores pernambucanos na área do teatro e inclusão com RaphaSantaCruz(PE)/ Agrinez Melo(PE)/ Mediação: Rita Marize(PE)

 

COMUNICAÇÕES*

TÍTULO AUTOR(A) INSTITUIÇÃO
Educação para a Acessibilidade como construto da cidadania inclusiva. Sonia Aguiar Cruz-Riascos E Daniela Francescutti Martins Hott Universidade Federal de
Pernambuco/Departamento de Ciência da Informação E Câmara dos Deputados / Diretoria-Geral/ Coordenação de Acessibilidade
Narrativas deficientes: o papel do Relações Públicas na
inclusão das pessoas com deficiência no Brasil
Isadora Meirelles Roberto Coach autônoma
PAUTA EFICIENTE: Como abordar a deficiência na imprensa José Ednilson Almeida do Sacramento Universidade Federal da Bahia-
UFBA
A INFORMAÇÃO COMO PONTE PARA A
DISSEMINAÇÃO DA ACESSIBILIDADE E INCLUSÃO SOCIAL
Joice Dias Costa/ Heitor José Cavagnari Araújo do Nascimento UFPE
Escutando sinais: a escola pela perspectiva de crianças surdas. Vanessa dos Santos Marques Universidade Federal Rural de
Pernambuco e Fundação Joaquim Nabuco. (UFRPE/FUNDAJ)
Projeto Libras na Escola: Incluir de Verdade Franciana Maria de Oliveira Nascimento Escola Municipal Francisco
Carneiro de Andrade
Relato de experiência como professora executora e tutora virtual da disciplina de LIBRAS na Universidade Federal Rural de Pernambuco nos cursos de licenciatura EaD. RENATA DANTAS DO NASCIMENTO UFRPE (colaboradora)
A inclusão do surdo na sala de aula: um estudo de caso a partir das práticas pedagógicas desenvolvidas na EJA. Adriany Suellen de Souza Oliveira Faculdade Maurício de Nassau
CAPACITISMO: uma visão crítica a partir da experiência de estágio Anderson Fabrício Teixeira Soares; Maria Feitosa de Lima Universidade Regional do Cariri – URCA
Comunicação alternativa e Transtorno do Espectro Autista: uma experiência com o aplicativo Go Talk Now. Renata Gomes Camargo Luana ZimmerSarzi Universidade Federal de Santa
Catarina
Comunicação alternativa: uma ferramenta para o processo de inclusão de um estudante com deficiência intelectual no contexto escolar Autora: Joseane Ferreira dos Santos

Coautora:Prof.DrªTíciaCassiany Ferro Cavalcante

Universidade Federal de Pernambuco- UFPE
Construindo estratégias de acessibilidade em materiais didáticos para deficientes visuais num curso EaD. Thalita Cunha Motta e Onã de Araujo Santos IFRN
O SOFTWARE COMMUNICATOR COMO FERRAMENTA EDUCACIONAL PARA UM ESTUDANTE COM PARALISIA CEREBRAL Luana ZimmerSarzi

Renata Gomes Camargo

Maria Eduarda Pereira Damas

Universidade Federal de Santa
Catarina – Colégio de Aplicação – PIBID
ACESSIBILIDADE E INCLUSÃO DE ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL (DI) NO MUSEU DO AMANHÃ/RJ Mônica de Oliveira Lopes; Rita de Cássia Monteiro Corrêa Vilhena; Janie Garcia da Silva Universidade Federal Fluminense – UFF
IMPORTÂNCIA DA MEDIAÇÃO COM TRADUTOR E
INTÉRPRETE DE LIBRAS EM MUSEUS
ZENAIDE GREGORIO ALVES E LUANA EDUARDA R. DE ANDRADE SILVA Universidade Federal Rural de
Pernambuco / ETE- Almirante Soares Dutra – ETEASD
MEDIAÇÃO – NO MEU BORNAL TEM! Viviane Sampaio Moraes Museu Cais do Sertão
Turismo e Acessibilidade Comunicacional: uma proposta de sensibilização e qualificação para o atendimento às pessoas com deficiência em equipamentos de turismo e cultura da cidade do Recife. Bruna Galindo Moury Fernandes Instituto Federal de Educação,
Ciência e Tecnologia de Pernambuco – IFPE – Campus Recife
CAMINHOS PARA A ACESSIBILIDADE NOS
SERVIÇOS TURÍSTICOS: O QUE DIZ A ACADEMIA?
Ana Karla de Melo Silva, Lais Celeste
Vasconcelos, Maria Iraê de Souza Correa
Universidade Federal Rural de
Pernambuco
Estudo de caso sobre a acessibilidade cultural nos cinemas comerciais de João Pessoa-PB, destinado ao público surdo. Amanda Azevedo Sousa (autora); Saulo Nascimento
Costa (coautor)
Universidade Federal da Paraíba – UFPB
PRODUÇÃO DE JANELA DE LIBRAS DO FILME BYE
BYE BRASIL NO PROJETO ALUMIAR DE CINEMA ACESSÍVEL: A RELAÇÃO CONSULTOR SURDO E TRADUTOR/INTÉRPRETE DE LIBRAS
Alessandro Augusto de Souza Vasconcelos e Carlos
Eduardo de Oliveira
Universidade Federal de
Pernambuco e Instituto Federal de Pernambuco
Invisível: uma tentativa de incluir os deficientes visuais no teatro. Joelma Ferreira da Silva Universidade Regional do
Cariri – URCA
Audioteatro: Um exercício de Ciberformance por pessoas com deficiência visual Thiago de Lima Torreão Cerejeira; Jefferson Fernandes Alves Universidade Federal do Rio Grande do Norte
O teatro como ferramenta de inclusão: uma reflexão acerca da barreira atitudinal Risonete Rodrigues da Silva Universidade Federal de
Pernambuco – Centro Acadêmico do Agreste – UFPE/CAA.
Um olhar sobre acessibilidade dentro da licenciatura em Teatro: Do (Em)barca ao El Salón Místico Ellis Regina Albuquerque de Souza Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
Dança e deficiência intelectual na Escola Estadual de Dança Lenir Argento Anita Gallardo de Souza Programa de Pós-Graduação em Dança da Escola de Dança da Universidade Federal da
Bahia – UFBA
Acessibilidade Atitudinal, pesquisa do movimento e Disabilities Studies – apontamentos Maria Sheila Bezerra da Silva UFBA
PROGRAMA VIDA ATIVA, FERRAMENTA DE
TRANSFORMAÇÃO E INCLUSÃO SOCIAL.
JOSÉ JOSIVAN DA SILVA PROGRAMA VIDA ATIVA- BEZERROS/PE

*Programação sujeita a alterações