Divulgada a programação do III Encontro de Acessibilidade Comunicacional em Pernambuco

De 20 a 24 de setembro de 2016, a VouVer Acessibilidade realiza o III Encontro de Acessibilidade Comunicacional em Pernambuco e traz o tema “O Hibridismo e o Multissensorial na Cena da Inclusão”. O projeto conta com o incentivo do Funcultura, Governo do Estado de Pernambuco e do Patrocínio da Caixa, Governo Federal.

O evento é gratuito e contempla palestras, mesas de debates, apresentações teatrais e de dança, exibições de filmes, laboratório de experimentação artística, além de ofertar oficinas e um curso de Libras. O foco do Encontro é provocar reflexões sobre a acessibilidade pensada como organismo híbrido, provocador para diluição de fronteiras, construção de pontes de acessos/conexões e de diálogo com as múltiplas possibilidades sensoriais de ser, estar e perceber o mundo.

Para a idealizadora do projeto, Andreza Nóbrega(PE), esta edição busca sensibilizar as pessoas de uma forma multisensorial . “É o Encontro com o outro e com nós mesmos no reconhecimento das diversidades e singularidades humanas, numa busca por construções de relações/espaços/arte mais acolhedoras à ‘nós’, seres tão plurais”. O evento é voltado a todas as pessoas, com ou sem deficiência, artistas, produtores e educadores.

A programação artística dos espetáculos tem a curadoria de Galiana Brasil (SP), que direcionou suas escolhas à poética dos corpos libertos, nos seus impulsos mais orgânicos, as fronteiras são – via de regra – porosas, borradas. Para a curadora, os trabalhos de teatro e dança dessa mostra têm um histórico de apresentações em diversas programações cênicas – livres de caixinhas, legendas. “Trazem em comum o entalho poético da arte, são também discursos políticos, afirmativos, estéticos, engrenados por artistas absolutamente legitimados no ofício e percurso trilhados por cada um”.

Todas as atividades são gratuitas. Não é necessário inscrição prévia para participar da programação de palestras, mesas de debates, sendo necessário apenas efetuar um credenciamento no dia do evento. Os ingressos para os espetáculos serão distribuídos uma hora antes e contam com os recursos de Audiodescrição e Libras. Apenas para as oficinas e para o curso será necessário inscrição prévia e os interessados serão selecionados por carta de intenção. Confira as nossa novidades pela Fanpage Encontro de Acessibilidade

PROGRAMAÇÃO GERAL

20/09 (terça)

8h às 12h – Curso de Libras com Antonio Cardoso – PE. Local: Teatro

13h – Inscrição e credenciamento. Local: Recepção. Térreo.

14h às 16h – Palestra de abertura: “Confluências culturais que caracterizam o contemporâneo” com Lourival Holanda – PE. Local: Teatro

Foto de Lívia Motta à frente de uma vegetação. Lívia é branca, tem cabelos louros liso na altura dos ombros, olhos verdes e sorri. Usa brinco de prata em forma de folha e um colar de várias voltas prateado por cima da roupa de gola rolê cinza. Lívia Motta (SP), uma das palestrantes do primeiro dia de evento.

16h às 18h – Palestra: “Audiodescrição no Teatro: O acesso de pessoas com deficiência visual às Artes Cênicas” com Lívia Motta – SP. Local: Teatro

18h às 19h – Vivência aberta de sensibilização corporal “À flor do corpo” – a multissensorialidade na multiplicação dos gestos que nos dançam, com Sílvia Góes – PE. Local: Teatro.

21/09 (quarta)

8h – Inscrição e credenciamento. Local: Recepção. Térreo.

8h às 12h – Curso de Libras com Antonio Cardoso – PE. Local: Teatro

9h às 12h – Oficina: “LIBRAS NO TEATRO – técnicas para interpretação de espetáculos” com Ernani Ribeiro – PE. Local: Sala Oficina 1

9h-12h – Mesa: “Acessibilidade em pauta” com representantes de Instituições públicas e privadas: SESC/ MPPE/ UFPE. Mediação: Leonard Sousa – PE. Sala: Sala Multimídia.

14h às 15h LAB de Artista| Relato de experiência e demonstração do processo artístico entre os artistas: Jefferson Figueiredo – PE e Luana Perrusi – PE. Local: Teatro

15h às 16h Trocando ideias: Fórum Permanente de Museus Acessíveis (FOPEMA/PE) com Ernani Ribeiro – PE. Local: Sala Multimídia.

16h às 18h Palestra: “Acessibilidade na TV” com Jonara Medeiros – PE. Local: Sala Multimídia.

19h às 21h Sessão especial do Cine Às Escuras e lançamento da chamada de filmes para a II Edição do projeto Cine Às Escuras. Indicação: Maiores de 18 anos. Local: Sala Multimídia.

22/09 (quinta)

8h às 12h – Curso de Libras com Antonio Cardoso – PE. Local: Teatro

9h às 12h – Oficina: “LIBRAS NO TEATRO – técnicas para interpretação de espetáculos” com Ernani Ribeiro – PE. Local: Sala Oficina 1

8h às 14h – Oficina: “Acessibilidade comunicacional em projetos culturais” com Jonara Medeiros – PE. Local: Sala Multimídia

13h – Inscrição e credenciamento. Local: Recepção. Térreo.

13h30 às 14h – Sessão para escola – Apresentação Artística “Pequenos Mares – Experimentos multissensoriais no espetáculo O mar tá pra peixe!” – Contação de Histórias sensorial com a Cia. Agora eu era… Local: Teatro

14h às 14h30 – Apresentação Artística “Pequenos Mares – Experimentos multissensoriais no espetáculo O mar tá pra peixe!” – Contação de Histórias sensorial com a Cia. Agora eu era… Local: Teatro

14h30 às 15h – Apresentação Artística “Pequenos Mares – Experimentos multissensoriais no espetáculo O mar tá pra peixe!” – Contação de Histórias sensorial com a Cia. Agora eu era… Local: Teatro

15h às 17h – Palestra “Acessibilidade e Ação Educativa Inclusiva em museus e Instituições Culturais” com Amanda Tojal – SP. Local: Sala Multimídia

17h às 18h – Lançamento do projeto “Toda Palavra” com exibição de curtas metragens e distribuição de DVD com Áudiodescrição, Libras e legendas. Local: Sala Multimídia

Serão exibidos os curtas “A Onda Traz, O Vento Leva”, de Gabriel Mascaro (duração: 29min), e “Entre Paredes” de Eric Laurence (duração: 16min). Após a sessão, haverá debate com os realizadores e com Tarsila Tavares, a idealizadora do projeto.

23/09 (Sexta)

8h às 12h – Curso de Libras com Antonio Cardoso – PE. Local: Teatro

9h às 12h –  Oficina: “A Legendagem para surdos e ensurdecidos no Teatro” com Bruna Leão – CE. Local: Sala Multimídia.

13h – Inscrição e credenciamento. Local: Recepção. Térreo.

14h às 16h – Palestra “Libras nas artes: entre o ser artista e o ser espectador” com Bernardo Klimsa – PE. Local: Sala Multimídia.

estampada em tons de verde, branco e marrom e tem, sobre o ombro direito, uma alça marrom.

Bruna Leão (CE) é palestrante e oficineira do III Encontro de Acessibilidade.

16h às 18h – Palestra: “Em cena: Legendagem para surdos e ensurdecidos” com Bruna Leão – CE. Local: Sala Multimídia.

Uma mulher branca, de lábios carnudos, seios grandes, braços e pernas grossas. Está de frente, com o rosto virado para a esquerda. Usa vestido com enchimento de peitos pontudos para a lateral, bege, de alça, na altura dos joelhos. Ela está com as pernas levemente abertas, com a saia do vestido levantada e as mãos por baixo da roupa na genitália. Ao fundo incide uma luz azul e há dois manequins.

Espetáculo que Corpo é Esse, de Petrolina (PE)

19h –  Apresentação Artística: “Que corpo é esse?”, do Coletivo Incomum de Dança – Petrolina – PE. Indicação: 16 anos. Local: Teatro

24 (Sábado)

8h às 12h – Curso de Libras com Antonio Cardoso – PE. Local: Teatro

9h às 12h – Oficina 3: “A Legendagem para surdos e ensurdecidos no Teatro” com Bruna Leão – CE. Local: Sala Multimídia

13h – Credenciamento. Local: Recepção. Térreo.

Fotografia colorida dos integrantes do grupo Batuqueiros do Silêncio. Seis pessoas lado a lado em pé seguram baquetas atrás de alfaias que estão no chão. Dois rapazes estão de camisa azul com o desenho em branco de uma alfaia, um homem de cabelo com dreads e barbudo usa camisa listrada, duas mulheres estão com a camisa azul e um rapaz de camisa amarela com o desenho em preto de uma alfaia. Todos olham para nós, as mulheres sorriem.

Batuqueiros do Silêncio (PE)

13h30 Apresentação Artística: “Um Surdo tocando surdo parece um absurdo”, Batuqueiros do Silêncio – PE. Local: Sala Multimídia

14h às 16h – Mesa: “Panorama da Acessibilidade Comunicacional em Pernambuco” com Antônio Cardoso – PE e representantes do Grupo LivreMente – PE e do Coletivo Lugar Comum – PE.  Mediação: Manuel Aguiar – PE. Local: Sala Multimídia.

Foto colorida do espetáculo “Se fosse fácil não teria graça”. Um homem com o rosto na penumbra, em pé com a perna direita à frente da esquerda, apoiado em muletas. Ele usa boina, camisa de gola sob suéter, calças jeans e sapatos marrons. À direita, foco de luz em um amarrado de balões amarelos de gás presos por linhas vermelhas a um cilindro em madeira com tampo. Ao fundo uma cadeira vazia com o assento iluminado.

Cena do espetáculo “Se Fosse Fácil Não Teria Graça”, finalizando a programação.

17h – Apresentação Artística:Se fosse fácil não teria graça”, com Nando Bolognesi – SP. Indicação: 12 anos. Local: Teatro

CLASSIFICAÇÃO DO EVENTO: (Programação livre. Exceto: 21.09 sessão especial do Cine Às Escuras para maiores de 18 anos. Atentar para a classificação indicativa dos espetáculos.)

INSCRIÇÃO PARA AS OFICINAS E PARA O CURSO

O interessado deverá preencher o formulário de inscrição com a respectiva carta de intenção no período de 01 a 08 de setembro, na qual apresentará as justificativas as contribuições para a sua formação profissional ao participar da atividade. O resultado dos selecionados será divulgado até o dia 16 de setembro, na página do Facebook do evento.

CURSO

Curso de Libras com Antonio Cardoso – PE

Dias: 20,21, 22,23,24, das 8h às 12h. Carga horária: 20h

A proposta do curso é apresentar e construir elementos básicos para uma comunicação introdutória com pessoas surdas em ambientes culturais. Para isso, serão trabalhados conteúdos como apresentação pessoal, saudações, vocabulário básico para expressão e compreensão do alfabeto manual, numerais, compreensão e expressão de enunciados simples em eventos culturais. Serão abordados ainda, os conceitos de surdez e libras.

Interessados no curso podem se inscrever de 01 a 08 de setembro através do formulário disponível em https://goo.gl/forms/rQM4PCj1rhlXHC632

OFICINAS:

“LIBRAS NO TEATRO – técnicas para interpretação de espetáculos” com Ernani Ribeiro/PE

Dias: 21 e 22 de setembro, das 9h às 12h. Carga horária: 6h

Proporcionar aos intérpretes de teatro, conhecimentos específicos sobre a técnica de interpretação Libras/ português/ Libras para o teatro. Além disso, refletir sobre o papel do intérprete de Libras no teatro; adquirir conhecimentos práticos sobre a interpretação para Libras no teatro e ampliar as discussões sobre estas técnicas de interpretação de Libras.

Interessados podem se inscrever de 01 a 08 de setembro através do formulário disponível em https://goo.gl/forms/qSIyFvtH2qp1ymGD3

“Acessibilidade comunicacional em projetos culturais” com Jonara Medeiros – PE

Dia: 22 de setembro, das 8h às 14h. Carga horária: 6h

A proposta da oficina é conhecer as diretrizes gerais sobre Inclusão e Legislação no Brasil. Acompanhar as aplicações dos Recursos de Acessibilidade Comunicacional nas produções culturais. Além disso, tratará brevemente como conceituar processos comunicativos com áudiodescrição, janela de libras e legenda oculta;  refletir sobre o tema da acessibilidade nos editais e nas diversas linguagens artísticas; conhecer experiências bem sucedidas na área e exercitar a construção de um plano de ação com acessibilidade comunicacional.

Interessados podem se inscrever de 01 a 08 de setembro através do formulário disponível em https://goo.gl/forms/WsjnevWSug3fmMWz2

“A Legendagem para surdos e ensurdecidos no Teatro” com Bruna Leão – CE

Dias: dias 23 e 24 de setembro, das 9h as 12h Carga horária: 6h

Estudos da tradução audiovisual, envolvendo a legendagem para surdos e ensurdecidos como um recurso de acessibilidade cultural e educacional. Teoria e prática da legendagem para surdos e ensurdecidos para o teatro, envolvendo pesquisas realizadas no mundo e no Brasil (Grupo LEAD/UECE). Elaboração e edição de legendas para surdos e ensurdecidos.

Interessados podem se inscrever de 01 a 08 de setembro através do formulário disponível em https://goo.gl/forms/N3RR5bwVlJ3F70wJ3

(Pré-evento) “Acessibilidade Comunicacional” com Andreza Nóbrega – PE 

Dias: 13/09, no Edifício Pernambuco. Carga horária: 6h

A proposta da oficina é apresentar algumas das barreiras atitudinais e dos recursos de acessibilidade comunicacional (audiodescrição, Libras,legendagem, Braille, fontes ampliadas), e das estratégias de mediação inclusiva para tornar um evento cultural acessível.

APRESENTAÇÕES ARTÍSTICAS

Apresentação musical: Um surdo tocando surdo parece um absurdo, dos Batuqueiros do Silêncio – PE: Grupo formado por jovens com surdez total e/ou parcial, com idades entre 19 e 30 anos que participaram das oficinas do Projeto Som da Pele de música para surdos e através da metodologia MusiLibras desenvolvida pelo músico e educador Irton Silva aka Ras Batman Griot, fundador do projeto, tiveram sua musicalidade experimentada pela primeira vez e hoje em dia, depois de cinco anos e mais de 200 apresentações  em várias cidades de Pernambuco, além de João Pessoa, Salvador, e por duas vezes em São Paulo, onde se apresentaram no Sesc Pompéia em 2014 e no Itaú Cultural ano passado. O grupo prepara-se para se apresentar na cerimônia de encerramento do Jogos Paralímpicos do Rio, convite este que só confirma a capacidade destes novos batuqueiros.

Sinopse: A apresentação acontece em formato de concerto didático, no início são apresentadas as ferramentas pedagógicas desenvolvidas para realizar esta experiência com os surdos, tais como o metrônomo visual, um equipamento revolucionário composto por um sequenciador eletrônico.

Classificação etária: livre

Duração: 45 min

Vivência aberta de sensibilização corporal: À flor do corpo – a multissensorialidade na multiplicação dos gestos que nos dançam, com Silvia Góes – PE

Sinopse: No interior do nosso corpo vive um dançarino que trabalha o nosso corpo. Através de práticas e exercícios de sensibilização esse dançarino pode crescer, ultrapassar o seu lugar no interior do corpo, no interior do espaço, entre o corpo e o espaço, entre o eu e o outro. À flor do corpo brota em cada poro a possibilidade de um novo ser em relação dançante com seu gesto no tempo.

Classificação etária: 16 anos

Duração: 60min

Sessão Especial “Cine às Escuras – Mostra Erótica de Cinema Acessível”

Sinopse: O Cine Às Escuras é uma mostra de filmes com temática erótica em formatos acessíveis às pessoas com deficiência visual ou auditiva. Serão exibidos os filmes “Popoxexeca” (SP), de Ioanna Pappou e Ruth Steyer, “Um outro ensaio” (RJ), de Natara Ney, “Eu queria ser arrebatada, amordaçada e nas minhas costas tatuada” (RJ), de Andy Malafaia,  e  “Yes, we fuck” (ESP), de Antonio Caetano Ortiz e Raúl de la Morena.

Classificação etária: 18 anos

Duração: 1h45

Lab de Artista: Relato de experiência e demonstração do processo artístico entre os artistas: Jefferson Figueiredo – PE e Luana Perrusi – PE

Classificação etária: livre

Duração: 60min

Contação de Histórias sensorial: “Pequenos Mares- Experimentos multissensoriais no espetáculo O mar tá pra peixe!” – com a Cia. Agora eu era…

Sinopse: ‘Pequenos mares’ é uma proposta brincante e multissensorial com histórias vindas das águas e construídas no encontro participativo com os espectadores. Vamos experimentar cheiros, texturas, ventos e movimentos, construindo uma vivência única que poderá desembocar em novas histórias particulares e íntimas.

Classificação: Livre.

Duração: 30min (cada sessão).

NOSSOS CONVIDADOS

Amanda Tojal: Museóloga e Educadora de Museus. Doutora em Ciência da Informação pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. Coordenadora de Programas Educativos para Públicos Especiais no MAC-USP (de 1991 a 2003) e da Pinacoteca de São Paulo (de 2003 a 2012).  É atualmente Consultora de Acessibilidade Cultural e Docente em Cursos de Formação em Ação Educativa Inclusiva em Museus, Instituições Culturais e Reservas Ambientais.

Antonio Cardoso: é graduado em Letras-Libras pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e possui especialização em Libras pela Universidade Salgado de Oliveira (UNIVERSO). Professor de Libras na Universidade Federal de Pernambuco desde agosto de 2014, no Departamento de Psicologia e Orientação Educacionais (DPOE) do Centro de Educação. Atua como Tutor no curso de Letras-Libras a Distância na UFPB Virtual.

Bruna Leão: Doutoranda em Linguística Aplicada, Mestre em Linguística Aplicada com ênfase em Tradução Audiovisual Acessível e graduada em Letras pela UECE e formada em Artes Cênicas pelo Centro de Formação e Pesquisa em Artes Cênicas do Ceará. Possui experiência na área de Tradução Audiovisual Acessível (Audiodescrição e Legendagem para Surdos e Ensurdecidos).

Cia. Agora eu era…: A Cia. Agora Eu Era cria espetáculos de contação de histórias com cantigas populares e autorais, contos do Brasil e do mundo, adivinhas e lendas. A dupla pernambucana, Nanda Mélo e Cacau Nóbrega, brinca com narração, música e  teatro para  partilhar momentos únicos e interagir bastante com a plateia.

Coletivo Incomum de Dança: Criado em Abril de 2011, o Coletivo Incomum de Dança, tem o objetivo de trabalhar a dança de forma inversa, um processo criativo que parte da sensação corporal para então criar o movimento. O grupo estreou sua primeira criação no mesmo ano, o espetáculo Dilatado. De lá para cá, se dedicou a experimentações cênicas e participou de festivais como o Aldeia Vale Dançar , Janeiro Tem Mais Arte, Aldeia do Velho Chico e Mostra 14 de Dança . O coletivo completou 04 anos em 2015, estreando Que Corpo É Esse?, seu segundo espetáculo.

Coletivo Lugar Comum: Coletivo de criação artística com sede na cidade do Recife. Ocupam o coletivo artistas das áreas de performance, dança, música e literatura, além de pesquisadores e técnicos envolvidos com criação artística.

Ernani Ribeiro: Federal de Pernambuco (CAV/UFPE). Mestre em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE); Especialista em Ensino de História das Artes e da Religião pala Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE); Licenciatura Plena em História pela Fundação de Ensino Superior de Olinda (FUNESO). Coordenador do Núcleo Setorial de Acessibilidade do CAV/ UFPE. Possui experiência em Educação na área da educação inclusiva; ensino de Libras; tradução e interpretação de Libras e áudio-descrição; ética; inclusão social e diversidade humana; tradução Inter semiótica; história e filosofia da ciência. Tem desenvolvido pesquisa sobre acessibilidade comunicacional da Libras no contexto das ciências biologias e na saúde, bem como nas áreas de tradução visual, inclusão social e diversidade humana. É interprete de Libras com vasta experiência e proficiência (PROLIBRAS-MEC-UFSC, 2006). Tem orientado trabalhos na graduação e pós-graduação, dado palestras e consultoria na área da inclusão social e educacional das pessoas com deficiência.

Grupo LivreMente: é um grupo que surgiu em 2014, composto por cinco pessoas distintas com um objetivo em comum: Gerar cultura inclusiva em Recife-PE, por meio de um evento anual acessível.

Jefferson Figueiredo: Bailarino, professor de dança e instrutor de Pilates, é graduado em Licenciatura em Dança pela UFPE e pós graduando em Dança Educacional e Inclusão. Iniciou seus estudos em dança através da dança popular, mais especificamente o frevo, se interessando posteriormente pelo balé clássico e pela dança contemporânea. Ex-bailarino da Escola de Frevo do Recife, atualmente integra o elenco da Cia. de Dança Artefolia e de Cláudio Lacerda/Dança Amofa, além de realizar diversos trabalhos como bailarino independente e produtor cultural.

Jonara Medeiros: Jornalista, produtora e mediadora cultural. Pesquisa sobre comunicação acessível desde 2009. Atualmente é professora de jornalismo na Universidade Estadual da Paraíba – UEPB. É integrante do Grupo de Pesquisas em Jornalismo, Mídia, Acessibilidade e Cidadania – GJAC, pelo Programa de Pós-Graduação em Jornalismo da Universidade Federal da Paraíba – UFPB, dedicado em compreender os processos que vinculam a produção jornalística na perspectiva de que a mesma assegure acessibilidade e cidadania às pessoas com deficiência.

Leonard Sousa: Agente Administrativo do  Ministério do Trabalho e Emprego de 2009 a 2011; Analista de Sistemas da CHESF de 2011 até o momento; Consultor em Áudio-Descrição da Entrelinhas Comunicação Acessível de 2015 até o momento; Consultor em Tecnologias Assistivas de 2008 até o momento.

Lívia Motta: é doutora em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela PUC de São Paulo. Trabalha como audiodescritora e professora de cursos de audiodescrição desde 2005, implementando o recurso em todos os tipos de espetáculos, filmes, eventos religiosos, acadêmicos e sociais. Coordenou o 1º Curso de Especialização em Audiodescrição pela UFJF e organizou com Paulo Romeu Filho o 1º livro brasileiro sobre o tema: AUDIODESCRIÇÃO: TRANSFORMANDO IMAGENS EM PALAVRAS. É diretora da empresa VER COM PALAVRAS AUDIODESCRIÇÃO  que presta serviços de acessibilidade comunicacional.

Luana Perrusi: Idealizadora da página “Raro É Aquele Que Não É Comum”. Bailarina Rara. Realizou apresentações de dança, junto à fala motivacional para varias instituições, dentre elas: ONG AMAR – Aliança de Mães e Famílias Raras -, Universidade Católica, Show do Bem – cantora Adriana B., Novo Jeito. Participou da mesa redonda “O Protagonismo da Pessoa com Deficiência nas Artes”, no Janeiro de Grandes Espetáculos.

Lourival Holanda: Professor da UFPE. Escritor e crítico literário. Membro da Academia Pernambucana de Letras. Membro do Instituto Arqueológico Histórico e Geográfico de Pernambuco. Trabalha com temáticas de literatura, crítica e memória cultural.

Manuel Aguiar: Formado em Administração de Empresas pela Universidade Católica de Pernambuco e pós-graduado em Administração da Informação pela Universidade Federal de Pernambuco — UFPE, com TCC intitulado: “Proposta de um Sistema de Informações Executivas para a Área de Benefícios da Fachesf”. Mestre em Gestão Pública pela Universidade Federal de Pernambuco, com Dissertação intitulada “O Processo de Contratação do Empregado, Pessoa com Necessidades Específicas”. Atualmente é sócio-diretor da Proacessi Consultoria Empresarial, onde atua como consultor de Acessibilidade e Inclusão. É também coordenador de Acessibilidade do Instituto de Gestão (INTG) da TGI Consultoria em Gestão, comentarista sobre acessibilidade e inclusão no programa Rádio Cidadão da Rádio Jornal e gerente de Projetos Especiais da Secretaria de Turismo e Lazer de Recife.

Nando Bolognesi: Nando Bolognesi nasceu em maio de 68. Aos vinte e um ficou sabendo que sofria de uma doença degenerativa, progressiva, incurável e com potencial incapacitante. Formou-se em economia na USP, história na PUC, se casou, adotou um filho e resolveu dar uma virada na própria vida ao ingressar na concorridíssima Escola de Arte Dramática EAD-ECA-USP. Trabalhou no cinema, televisão e teatro com diretores consagrados como Hector Babenco, Laís Bodansky, Fernando Meirelles, Celso Frateschi, Elias Andreato, José Rubens Siqueira, Wellington Nogueira e William Pereira entre outros. Integrou o elenco de palhaços dos Doutores da Alegria (2001/2005), criou e dirigiu o projeto Cidadão Clown (2002); criou, atuou e dirigiu o grupo “Fantásticos Frenéticos” – palhaços em Hospitais psiquiátricos (2006-2008); integrou o elenco de palhaços improvisadores no espetáculo Jogando no Quintal (2002/2012). Publicou o livro “Um palhaço na boca do vulcão” (ed. Grua), em agosto/2014. Apresenta o espetáculo “Se fosse fácil, não teria graça” em teatros, empresas e universidades desde agosto de 2013.

Silvia Góes: Artista do Coletivo Lugar Comum. Especialista em Dança pela Angel Vianna. Dramaturgia de obras do Lugar Comum e parcerias com outros grupos como “Divinas” (Duas Companhias) e “Três mulheres e um bordado de sol” (Compassos). Estudou na Argentina com Maria Fux e em Campinas (SP), no Lume Teatro. Práticas formativas em Contato Improvisação e Movimento Autêntico com professores do Brasil e exterior. Dá aulas no Curso de Sensibilização Corporal no CAPS Casa Forte e no SESC Santo Amaro.

E-flyer retangular vertical com fundo branco. Centralizado no alto, a logomarca da Caixa Cultural apresenta. E de cima para baixo, encontro de acessibilidade comunicacional em Pernambuco, o hibridismo e o multissensorial, na cena da inclusão. O texto está em negrito, exceto a palavra acessibilidade que está tripartida: Aces-sibili-dade e cujas letras são preenchidas por traços e formas variados e coloridos (vermelho, amarelo, azul, roxo, verde, laranja e rosa claro) Abaixo desse título, à esquerda, em preto, 20 a 24 de setembro de 2016, Caixa Cultural Recife, Entrada Gratuita, www.vouveracessibilidade.com.br, à direita um QR code, os símbolos da Audiodescrição (AD e três ondas à direita), de Libras (A mão esquerda espalmada com os dedos para cima e a direita com os dedos para baixo e o polegar no centro da mão esquerda). No rodapé, # Viva mais cultura, acesse www.caixacultural.gov.br, baixe o aplicativo Caixa Cultural, Curta facebook.com/CaixaculturalRecife; realização Vouver acessibilidade; Incentivo FUNCULTURA, FUNDARPE, SECRETARIADE CULTURA, Governo do Estado de Pernambuco, juntos, fazemos mais; Patrocínio Caixa, Brasil – Governo Federal. Na lateral direita em letras miúdas pretas as frases “Preserve o meio ambiente” e “ A CAIXA está na luta contra o mosquito. #ZikaZero

E-flyer retangular vertical com fundo branco. Centralizado no alto, a logomarca da Caixa Cultural apresenta. E de cima para baixo, encontro de acessibilidade comunicacional em Pernambuco, o hibridismo e o multissensorial, na cena da inclusão. O texto está em negrito, exceto a palavra acessibilidade que está tripartida: Aces-sibili-dade e cujas letras são preenchidas por traços e formas variados e coloridos (vermelho, amarelo, azul, roxo, verde, laranja e rosa claro) Abaixo desse título, à esquerda, em preto, 20 a 24 de setembro de 2016, Caixa Cultural Recife, Entrada Gratuita, www.vouveracessibilidade.com.br, à direita um QR code, os símbolos da Audiodescrição (AD e três ondas à direita), de Libras (A mão esquerda espalmada com os dedos para cima e a direita com os dedos para baixo e o polegar no centro da mão esquerda). No rodapé, # Viva mais cultura, acesse www.caixacultural.gov.br, baixe o aplicativo Caixa Cultural, Curta facebook.com/CaixaculturalRecife; realização Vouver acessibilidade; Incentivo FUNCULTURA, FUNDARPE, SECRETARIADE CULTURA, Governo do Estado de Pernambuco, juntos, fazemos mais; Patrocínio Caixa, Brasil – Governo Federal. Na lateral direita em letras miúdas pretas as frases “Preserve o meio ambiente” e “ A CAIXA está na luta contra o mosquito. #ZikaZero

Realização: VouVer Acessibilidade

Maiores informações: vouverencontro@gmail.com